OPEP

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP 1979)

O petróleo se destacou como a principal fonte energética do mundo contemporâneo, de modo que a economia internacional se tornou completamente dependente deste recurso natural. Durante o século XX, a exploração do óleo não era realizada majoritariamente pelos países detentores das bacias petrolíferas, mas sim por sete empresas de origens anglo americanas que detinham os meios de produção[1].

Nesse contexto, fundada durante a Conferência de Bagdá de 1960 pelo Irã, Iraque, Kuwait, Arábia Saudita e Venezuela, doravante chamados de Membros Fundadores[2], a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)[3] surgiu como contraposição aos principais países produtores de petróleo frente a exploração perpetrada pelas “Sete Irmãs”.

Uma década depois da sua formação, a Organização alertou para o mundo ocidental que o petróleo tinha uma importância além da energética, podendo ser utilizado com arma econômica na defesa de interesses políticos.

TEMA ÚNICO: 1979 – O petróleo como arma econômica: a estabilização no valor do barril frente à crise geopolítica internacional

O tema visa o debate entre as nações detentoras das bacias petrolíferas acerca de mecanismos para a estabilização do preço do barril, frente a crise supramencionada, com destaque para o uso do petróleo como uma arma econômica capaz de modular a geopolítica internacional.

Em face da atual crise econômica que assola o Brasil, os debates acerca do melhor investimento e destinação dos recursos minerais nacionais, mais especificamente o petróleo localizado na camada de pré-sal do litoral brasileiro, estão cada vez mais fortalecidos pela população, não havendo consenso geral sobre a aplicação mais adequada de tal riqueza.

Diante de tal paradigma, a presente proposta em simular a OPEP durante a Crise do Petróleo nas décadas de 70 e 80 será de retomar aos dias atuais as discussões sobre o movimento autoafirmativo de tal organização internacional para a descentralização do mercado petrolífero do monopólio comercial exercido pelas maiores multinacionais do ramo.

Ademais, ainda correlacionando o contexto da Organização com o a atualidade, há de se mencionar a instabilidade ocorrida em no ano de 1979, sob influência da Revolução Islâmica[4] ocorrida no Irã, um dos maiores produtores de petróleo e Membro Fundador da OPEP, episódio qual assemelha-se com as atuais crises de representatividade política vivida por diversos países.

Filmes Relacionados

1. Argo (2012)*

2. Syriana (2006)

3. A Dama de Ferro (2011)

4. O Dia do Perdão (2000)

*Disponível no Netflix. Acesso em 16 de dezembro de 2017.

Séries Relacionadas

1. O Segredo das Sete Irmãs: A Vergonhosa História do Petróleo (2011)

2. A História do Petróleo (2010)

Vídeos Relacionados

1. Oil Prices: What’s going on? – An Animation (video em inglês). Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=hyqprG1pDzE&feature=youtu.be>. Acesso em: 26 de dezembro de 2017.

REFERÊNCIAS

[1] “Sete Irmãs” foi a nomenclatura dada as sete maiores companhias de Petróleo transnacionais que dominavam a exploração do mercado petrolífero até o final da década de 1960. Seven Sisters (oil companies). Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Seven_Sisters_(oil_companies)>. Acesso em: 30 de outubro de 2017.

[2] Estatuto da OPEP (edição revisada em 2012). Disponível em: < http://www.opec.org/opec_web/static_files_project/media/downloads/publications/OPEC_Statute.pdf> . Acesso em: 22 de outubro de 2017.

[3] Site oficial da OPEP. Disponível em: <http://www.opec.org/opec_web/en/>. Acesso em: 22 de outubro de 2017.

[4] SILVA, Débora. Revolução Iraniana. Disponível em: < https://www.estudopratico.com.br/revolucao-iraniana-antecedentes-historicos-e-consequencias/>. Acesso em: 12 de dezembro de 2017.

DIRETORES ACADÊMICOS

Lucas Cruz Campos

Mariana Mousinho Cavalcante Medeiros Gomes

DIRETORES ASSISTENTES

Ana Cybelle Fernandes da Costa

Ana Karen de Paula Dantas

Ana Karolina Santiago Bezerra Costa da Silva

Rayane Soares Penha

TUTOR

Gabriel Victor Rodrigues Pinto