Conferência de Teerã

Conferência de Teerã (1968)

A Conferência Internacional sobre Direitos Humanos de 1968, realizada em Teerã, capital do Irã, surgiu com o intuito de reavaliar o progresso feito na efetivação dos Direitos Humanos, sendo um evento alusivo aos 20 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Para tanto, buscou-se revisar antigas disposições de poder que realizavam regimes e práticas altamente discriminatórias, a exemplo do Apartheid na África, bem como o Neocolonialismo presente durante o século XX e que fomentava a relação de desigualdade entre as nações.

Não obstante, além de abarcar esse período, a Conferência de Teerã, como também é conhecida, chama a atenção para o fato de que hoje, mais de 70 anos depois, ainda são constantes situações de mitigação desses direitos, sejam direcionadas a discriminação por gênero, raça, etnia ou disparidades socioeconômicas.

 A escolha do comitê se torna pertinente tendo em vista que tal reunião foi um dos marcos iniciais na discussão sobre a garantia dos Direitos Humanos, tratando de temas de relevante pertinência até os dias atuais, o que faz com que o debate proposto continue sendo atual e válido para ser trazido ao ambiente democrático das simulações. 

TEMA ÚNICO: “Combate às formas de discriminação e ao neocolonialismo: medidas para a efetivação dos direitos humanos no século XX”.

Dessa forma, a Conferência ocorreu com o objetivo de promover ainda mais os princípios presentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos, com o intuito de pôr fim a toda forma de discriminação e garantir os direitos civis, políticos e econômicos, independente de cor, raça, idioma ou religião, com enfoque especial nas disparidades oriundas da política do Apartheid no Continente Africano.

Nesse contexto, também é possível visualizar na fomentação de poder da época o Neocolonialismo como estrutura de dominação, que significa o predomínio econômico, político e/ou cultural de um país desenvolvido sobre outro, menos desenvolvido ou mais vulnerável [1]. Diante disso, percebe-se que há por trás dessas situações um padrão de vontade imperialista pela manutenção de poder e privilégios, implicando na segregação de classes, além de ter outros enfoques como o racismo, os conflitos armados e os direitos das mulheres.

Ademais, é notório que durante o século XX foi possível observar a ocorrência de diversos fatos históricos, tais como o Nazismo, o Fascismo e a própria Segunda Guerra Mundial, sendo estes fatores que levaram a necessidade da institucionalização dos Direitos Humanos como conjunto de princípios que visam, em tese, proteger a dignidade da pessoa humana. Logo, pode-se perceber a urgência de que a forma de proteção dos direitos humanos seja revista para não abrir margem a novos episódios de supressão destes, culminando numa expansão da proteção internacional dos direitos humanos [2].

Sendo assim, a proposta do comitê para a Conferência de Teerã de 1968 tem como fundamento a necessidade de criar caminhos com novas possibilidades, permitindo aos delegados, que representarão alguns dos países presentes na conferência, chegar além dos resultados alcançados naquela oportunidade, ou seja, sob um novo olhar desafiador que retornará a um contexto que gera consequências até os dias atuais, de forma a modificar as perspectivas contemporâneas.

Filmes e Séries Relacionadas:

  1. Diamante de Sangue (2007), 2h 23 min, Diretor: Edward Zwick. 

Sinopse disponível em: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-61469/. Acesso em: 13 de dez. 2019.*

  1. Hotel Ruanda (2004), 2h 02 min, Diretor: Terry George

Sinopse disponível em: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-55666/. Acesso em: 13 de dez. 2019.

  1. Madiba (2017), Diretor: Kevin Hooks.

Sinopse disponível em: http://www.adorocinema.com/series/serie-19815/. Acesso em: 09 de jan. 2020.*

* Filmes disponíveis no Globo Play. Acesso em 09 de jan. 2019.

REFERÊNCIAS 

[1] SARTRE, Jean Paul. Colonialismo e Neocolonialismo: Situations V. Editorial Losada, Buenos Aires, 1965. Disponível em: http://theomai.unq.edu.ar/Conflictos_sociales/Sartre_Colonialismo_Neocolonialismo.pdf. Acesso em: 13 de dez. 2019.

[2] SARTRE, Jean Paul. Colonialismo e Neocolonialismo: Situações V. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1968. (Biblioteca tempo universitário). Tradução de Colonialisme et neo-colonialisme: situations, V. *

[3] ONU. Final Act of the International Conference on Human Rights. Disponível em: https://undocs.org/pdf?symbol=en/A/CONF.32/41. Acesso em: 13 de dez. 2019.

* Livro disponível na Biblioteca Central Zila Mamede e na Biblioteca Setorial do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes – CCHLA (ambas localizadas no campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Diretores Acadêmicos:

Calinne Carla Aguiar Silva

Guilherme Melo Antunes Silva

Diretores Assistentes:

Anna Laura Varela Rocha

Eduardo Andrade Galvíncio Rodrigues

João Miguel de Carvalho Alves

Luana de Oliveira Bezerra

Richardson Emanoel de Brito Borba

Tutor:

Lucas Cruz Campos